Acompanhe nossas atualizações!

Acompanhe nossas atualizações!

Inscreva-se na nossa lista VIP e seja informado sobre novos artigos!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Viver no mundo e não fazer parte dele

Viver no mundo e não fazer parte dele

Viver no mundo e não fazer parte dele. O que isso significa? Parece impossível, não é mesmo? E também, soa como discurso de alguma religião. Mas, não é. Pelo menos não aqui neste texto.

Você olha ao redor e muitas vezes não compreende certos comportamentos. Ou, outras vezes se vê fazendo exatamente o que todo mundo faz. É muito claro que existe aí uma polaridade. De que lado você está?

Você faz o que todos fazem ou está fora da roda, marginalizado, deslocado, afastado do senso comum? Se você corresponde ao segundo caso, você vive no mundo e não faz parte dele.

Muitas pessoas poderiam achar que isso é motivo de tristeza. Mas acredite, meu amigo, não é. O mundo da forma que todos nós vemos é uma ilusão. Jogos de poder, correria por uma felicidade que nunca chega, guerras de egos…

É um negócio meio sem sentido essa “matrix”, não é mesmo? É por isso que você não se encaixa. Você chegou a um ponto da sua existência que as coisas precisam fazer sentido.

Você não aceita mais explicações vagas. Não concorda mais com tudo que dizem parecer o correto Você é um questionador. Você está aqui revendo os paradigmas porque compreende que muitos deles não correspondem à sua busca.

Você se vê no grande dilema: como viver neste mundo sem me perder nele? Como conviver com tanta ilusão e com todo mundo chamando você de doido porque você questiona o que a maioria somente diz amém? Como sobreviver a essa loucura?

Isso mesmo! Por que quando a gente acorda e se percebe nessa situação é quase mortal. Primeiro a gente tenta voltar a ser como antes. Pensar, falar e sentir como antes.

E o que acontece? Dor. A gente não consegue mais. Os amigos se afastam porque você não consegue mais se satisfazer com a mesma coisa de antes.

As conversas permanecem as mesmas, mas você não quer mais falar sobre novela, sobre a vida das amigas ou a partida de futebol. Interessa mesmo é viajar na filosofia das coisas. Saber quem você é, para que você está aqui, de onde veio, quem foram os grande mestres…

Você se interessa por tudo que o senso comum não quer saber. E então você se isola. É nessa hora que o peito dói e muitos de nós se perguntam: e agora? O que eu faço nesse mundo do qual não faço mais parte?

Particularmente, meu conselho é: estude e ame. Estude porque o conhecimento é inesgotável. Quanto mais você estudar e buscar as respostas que sua alma busca, melhor. E quanto antes você fizer isso, mais rápido você encontrará respostas.

Depois, ame. Amar quem? Esse mundo que não me compreende?

Ame tudo! Ame a si mesmo em primeiro lugar, por estar passando por essa etapa linda da sua existência. Ame o planeta em que vive e todos os seres que existem nele. E isso inclui todo o senso comum. Jesus amou a todos, inclusive aqueles que não o compreendiam, não foi? Então, ame. Ame, sobretudo, esta linda experiência que é o despertar.

Você está acordando. Como um bebê, está renascendo em um mundo novo em que o criador colocou nas suas mãos o mapa do tesouro. Agora você sabe quem realmente é. Sabe que tem todo poder que uma centelha divina pode ter. Agora você não faz mais parte da massa de manobra.

E quando você buscar mais conhecimento, verá que só amando poderá compreender que as pessoas que estão lá fora e não compreendem sua mudança são da mesma substância divina que você.

Você não vai sentir desprezo, raiva e nem se sentir melhor que elas. Você irá amá-las e ajudá-las a, um dia, trilhar o mesmo caminho que você. Esse é o propósito. Isso é amar incondicionalmente.

Paz e luz!

Tags: |

Sobre o Autor

Lidiane Franqui
Lidiane Franqui

Eu tenho uma missão e quero cumpri-la com amor e paciência. Cada texto ou reflexão minha é parte dessa missão e eu vos convido a fazer parte dela.

0 Comentários

Deixe uma resposta