Arquétipos Simbolismo Símbolos

Simbolismo do Caduceu de Mercúrio no Ocultismo

Caduceu de Mercúrio
Escrito por Lidiane Franqui

Saudações, meus caros!

Vamos falar de simbolismo, especialmente do Caduceu de Mercúrio, também chamado de Caduceu de Hermes. Trata-se de um símbolo presente em diversas mitologias e época e que tem uma representação muito interessante.

O Caduceu de Mercúrio foi observado há pelo menos 2600 a.C, quando apareceu em uma taça atribuída Gudea, de Lagash. Também na Mitologia Naga — que faz parte do Budismo Indiano — o Caduceu é visto nos relevos feitos em placas de pedras.

Apesar dessas aparições, foi na Grécia, como emblema do Deus Grego Hermes (Mercúrio, na Mitologia Romana), que este símbolo teve maior destaque e, desde então, passou a ser considerado como representação de poderes especiais. Conta a lenda que Hermes recebeu o Caduceu das mãos do próprio Apolo.

Origem do termo Caduceus

Caduceu de Mercúrio

Em latim, Caduceus é a tradução do grego kherykeion, que significa bastão dos arautos. Ele servia de salvo-conduto, conferindo imunidade ao seu portador quando em missão de paz. O primitivo caduceu não tinha asas na extremidade superior, as quais foram acrescentadas posteriormente.

Hermes tinha a capacidade de deslocar-se com a velocidade do pensamento e por isso tornou-se o mensageiro dos deuses do Olimpo e o deus dos viajantes e das estradas.

Como o comércio na antiguidade era do tipo ambulante e se fazia especialmente através dos viajantes, Hermes foi consagrado como o deus do comércio. Outra tarefa a ele atribuída foi a de transportar os mortos à sua morada subterrânea (Hades).

Com a conquista da Grécia pelos romanos, estes assimilaram os deuses da mitologia grega, trocando-lhes os nomes: Asclépio passou a chamar-se Esculápio e Hermes, Mercúrio.

Significado do Caduceu de Mercúrio no Ocultismo

Este símbolo está associado ao equilíbrio moral e também ao caminho de iniciação. Acredita-se também que esteja relacionado ao caminho de ascensão da energia kundalini.

Corresponde ao eixo do mundo e as serpentes aludem à força Kundalini, que permanece adormecida e enroscada sobre si mesma na base da coluna vertebral. Vale destacar que a coluna vertebral é símbolo da faculdade evolutiva da energia pura.

A serpente da direita chama-se Od e representa a vida livremente dirigida. Já a da esquerda recebe o nome de Ob, que é a vida fatal. Há quem diga que uma representa a saúde e a outra a doença. O globo dourado no cimo chama-se Aur, que está associado à luz equilibrada.

As serpentes opostas figuram como forças contrárias que podem se associar, mas não se confundir. Elas representam tanto o conhecimento, que verticaliza o homem rumo ao alto, como o equilíbrio entre o bem e o mal, já que estão em posições inversas.

O Caduceu também é visto como ícone de retidão de caráter, motivo pelo qual foi adotado como símbolo de algumas profissões. Ele também está associado ao poder e, em uma perspectiva mística, simboliza o centro do mundo.

Inclusive, na Grécia Antiga, o Caduceu tinha um poder mágico e muitas lendas associavam ele à transformação de tudo o que era tocado por ele em ouro. Além disso, os gregos acreditavam que ele tinha o poder de atrair as almas dos mortos que, mesmo nas trevas, poderiam converter-se em luz com o poder do Caduceu.

Veja também:

Sobre a autora

Lidiane Franqui

O que eu poderia dizer se não que sou uma estudiosa dos assuntos ocultos? Apaixonada pelo místico, pelo oculto e pelo que há além da materialidade, eu sigo estudando, buscando e tirando os véus que estavam cobrindo meus olhos. Quanto mais estudo, mas percebo que há muito o que aprender. Parafraseando o ilustre Sócrates, quanto mais estudo, mas percebo que nada sei. Espero que com minhas anotações neste blog, eu possa auxiliar quem quer que chegue por aqui.

Deixe um comentário