Acompanhe nossas atualizações!

Acompanhe nossas atualizações!

Inscreva-se na nossa lista VIP e seja informado sobre novos artigos!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Resistir é sofrer!

Resistir é sofrer!

O estudo da Mecânica Quântica nos leva inevitavelmente a um novo paradigma, a uma nova maneira de viver.

Se estamos buscando crescimento em todas as áreas da vida, pedindo mais conhecimento acerca dos assuntos ligados à espiritualidade e ao novo modelo de realidade em que tudo emerge da consciência e não da matéria, é comum o choque de realidade.

A maioria de nós passou a vida inteira seguindo condicionamentos de limitação. Nossos pais, parentes e amigos — na maioria das vezes acreditando que estavam nos protegendo — colaboraram para que crescêssemos com medo. Mais que isso, para que nos enquadrássemos em uma matriz de controle em que podemos muito pouco e onde nossa criatividade é anulada.

Sendo assim, quando nos deparamos com conceitos novos, em que uma nova forma de vida é apresentada, oposta ao que acreditamos ser o “certo” desde então, puxamos o freio. É aí que vem a dor.

Resistir é sofrer

Muitos de nós acreditamos que é a mudança que dói, mas não se engane: o que causa sofrimento é a resistência à mudança. O ego, acostumando na zona de conforto, não quer sair dela e, assim, acabamos não dando oportunidade para que novas ideias e oportunidades apareçam.

A resistência é um grande problema e, no que se referência à expansão de consciência, pode ter resultados ainda mais complexos. Vejamos um exemplo comum:

Você começou a estudar Mecânica Quântica — ou outra coisa que leva à saída da zona de conforto e a uma nova forma de pensar ou ainda quando você assiste às palestras do Hélio Couto.

Nesse caso, a expansão de consciência é enorme e você perde a desculpa de “que não sabia” e passa a ter conhecimento sobre determinado assunto.

É ai que vem a questão: não dá mais para justificar sua inércia pela falta de conhecimento. Foi nesse sentido que Jesus disse que “àquele que mais é dado, mais é cobrado”. Você não pode mais alegar ignorância.

O que esperar de alguém que agora tem conhecimento sobre determinado assunto? Que essa pessoa utilize esse conhecimento, certo?

Quando descobrimos que estamos vivendo uma verdadeira revolução de ideias, em plena transição planetária e que estamos vendo Ciência e Espiritualidade explicando, juntas, conceitos até então relegados ao misticismo, percebemos que é hora não só de acordar, mas de agir.

No entanto, diante disso tudo, o que muitas pessoas fazem? Elas resistem. Dizem: “não, isso dá muito trabalho. Aqui na zona de conforto tá bom“. Outras falam: “deixa para outra vida“. E por aí vai.

Você tem livre arbítrio

É verdade que o Todo nos deu livre arbítrio, então, temos direito de adiar, de deixar para daqui a umas mil vidas. E ninguém deve julgar. Somos livres e ponto.

Mas, uma coisa deve ser lembrada: vai doer. Quando temos conhecimento, somos cobrados, lembra? E não é Deus que cobra não! É nossa consciência.

Uma conhecida minha sempre dizia: “quando a gente tem conhecimento das coisas espirituais, nunca mais peca em paz“. O professor Hélio Couto sempre diz nas palestras que a resistência cria antimatéria. Sabe o que é isso? Doença.

Então, meus amigos, ninguém interfere no nosso direito de “fingir que não é com a gente“. Ninguém pode nos culpar ou julgar. A responsabilidade é toda nossa.

Se queremos continuar do que jeito que tá, mesmo sabendo que tem outro caminho. Voilá. É a nossa escolha. Mas, vai doer e muito!

O corpo vai reclamar, as relações continuarão vazias, a vida vai permanecer sem significado. Digo isso porque essas são as maiores reclamações que as pessoas fazem.

Muitas vezes queremos resolver um problema desta dimensão, sem saltar para uma mais alta. Como Albert Einstein disse: “Nenhum problema pode ser resolvido pelo mesmo nível de consciência que o criou“.

Entendeu?

É preciso se elevar, crescer, subir outro degrau. Não adianta querer que as coisas mudem ficando no mesmo lugar, pensando as mesmas coisas e vivendo do mesmo jeito.

A vida pede mudança, crescimento. Não vamos perder mais tempo.

Sugestão de leitura: Se você assistiu/ leu O Nosso Lar e não ficou preocupado, não entendeu nada!

Tags: | |

Sobre o Autor

Lidiane Franqui
Lidiane Franqui

Eu tenho uma missão e quero cumpri-la com amor e paciência. Cada texto ou reflexão minha é parte dessa missão e eu vos convido a fazer parte dela.

0 Comentários


Deixe uma resposta