Princípio do Ritmo no Hermetismo: Como Neutralizar?

Saiba como escapar dos efeitos do Princípio do Ritmo através do uso da Lei de Neutralização.

Princípio do Ritmo no Hermetismo: Como Neutralizar?

Olá buscador!

Venho hoje conversar com você sobre o Princípio do Ritmo e a Neutralização dos seus efeitos. Vamos entender o que o Ritmo é enquanto Lei Hermética e como NEUTRALIZAR a sua ação para que não sejamos levados com as circunstâncias da vida.

Antes de mais nada, o que é o Princípio de Ritmo?

Se você leu o Caibalion já viu que se trata do movimento da vida, não é mesmo? De acordo com o Princípio do Ritmo: “Tudo tem fluxo e refluxo; tudo tem suas marés; tudo sobe e desce; tudo se manifesta por oscilações compensadas; a medida do movimento à direita é a medida do movimento à esquerda; o ritmo é a compensação“.

Entendeu? Vou explicar e tentar trazer o máximo possível esse entendimento para nosso processo de autoconhecimento.

De acordo com a LEI DE RITMO, “tudo tem fluxo e refluxo… há sempre uma ação e uma reação, uma marcha e uma retirada“.

Tudo no Universo, das coisas materiais às questões mentais do homem, obedece a esse movimento; que está relacionado diretamente à LEI DE POLARIDADE.

É que o movimento ocorre entre pólos, em um movimento de ida e vinda. Esse é mais um princípio que nega a existência da tal felicidade ou qualquer condição eterna (física ou mental/emocional) do homem.

Essa Lei, que é Universal, aplica-se a TUDO: sóis, mundos, animais, plantas, minerais, forças, energia, matéria, mente e até o Espírito passa por esse movimento de vai e vem; de inspiração e expiração, de criação e destruição.

Difícil compreender? Talvez pelo fato de que essa percepção de CONTÍNUA MUDANÇA gere insegurança nas nossas mentes tão desejosas de estabilidade.

Sinto informar, mas se tem uma coisa que não existe na vida é essa tal ESTABILIDADE. A própria matéria é vibração, ou seja, energia que se movimenta continuamente. Nada, absolutamente nada está parado.

Quantas vezes observamos em nós mesmos a contínua sucessão de estados, condições, emoções e outras incômodas e embaraçosas mudanças que observamos em nós mesmos?

Quantas vezes não fomos de um pólo a outro, numa rapidez incrível? Vamos do amor ao ódio, da alegria à tristeza, da empolgação ao desânimo…

Quantas vezes na história o mundo não vimos tendências que chegaram e depois se foram? Impérios que tiveram seu apogeu e declínio? Não faltam exemplos de que há um movimento e ele não depende de nós.

Mas Lidi, e agora? Eu faço o que com esse vai e vém de tudo? O que eu faço sabendo que tô sorrindo hoje e amanha o pêndulo vai pela Lei da compensação me levar a outro pólo e me fazer chorar?

É exatamente isso que acontece QUANDO a gente não utiliza a Lei a nosso favor. Quando vamos inconsciente igual manada no vai e vem da maré.

É aí que entra a NEUTRALIZAÇÃO. Sim, é possível neutralizar esse movimento, não fazendo ele deixar de ocorrer, mas colocando-se acima dele.

Como neutralizar os seus efeitos

Como extensão da Lei de Polaridade, o ritmo representa um movimento que vai de uma polaridade a outra, em todos os planos (físicos e mentais).

É possível escapar da sua atividade pela Transmutação, pela elevação do ego acima das vibrações do Plano Inconsciente da atividade mental.

Ou seja, o movimento do pêndulo rítmico ocorre no PLANO INCONSCIENTE, inferior. Para escapar devemos vibrar no plano superior a ele. A Neutralização é se manter em posição mais elevada que a ação da vibração do ritmo.

Só o conhecimento deste fato (do movimento rítmico e da existência desses planos) já possibilita ao estudante “ESCAPAR” da vibração do pêndulo rítmico. Mas, a situação requer mais que “estar ciente”, requer também:

polarizar-se no pólo desejado, num processo de recusa a participar da vibração que desce, ou num processo de negação da sua influência. É manter-se firme na polaridade deseja“.

Basicamente, a Lei de Neutralização ocorre quando não permitimos que as condições e estados mentais negativos nos dominem. Pretende levar a pessoa a atingir um “estado de EQUILÍBRIO” e “firmeza mental”.

Neutralizar a ação da Lei do Ritmo requer mais que técnicas. Você pode fazer todas as que encontrar na internet, mas se não estiver disposto a observar-se diante deste movimento e a ter firmeza mental para atingir estados de equilíbrio, não vai adiantar nada.

Vamos começar tomando consciência do movimento, da existência dos planos inferior e superior, da possibilidade de neutralizar a ação do pêndulo através da nossa vontade firme para se manter no pólo contrário à ação dele.

Eu sei que algumas pessoas vão revirar os olhos e pensar: mas eu quero algo “palpável”. Quando trabalhamos no plano mental, nem sempre o foco é físico. Observe a Lei agindo e a consciência já vai fazer uma grande diferença.

Mais alguma dúvida? Deixa uma comentário. Vamos conversar mais sobre o assunto.

Sobre o autor | Website

Estudante de hermetismo e esoterismo, compartilho com você material, referências e reflexões dos meus estudos nessas áreas.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!