Paracelso: o pai da Medicina Integral

Paracelso: o pai da Medicina Integral

Saudações, meus amigos!

Hoje vamos falar sobre Paracelso, essa figura importantíssima da nossa história, especialmente para o ocultismo. Considerado mago e cientista, ele saiu de casa aos 14 anos em busca da Pedra Filosofal e fez história na Medicina e na Alquimia.

“Esquece todas as ofensas que te façam, ainda mais, esforça-te por pensar o melhor possível do teu maior inimigo. Tua alma é um templo que não deve ser profanado pelo ódio.” (Paracelso)

Quem foi Paracelso

O médico suíço Paracelso é visto hoje em dia como o precursor da Medicina Holística. Ele foi um dos primeiros a pensar a Medicina de forma integral. A visão da saúde como o equilíbrio energético do corpo, da importância da fé na cura e a interrelação entre o homem e tudo o que o cerca são apenas alguns dos conceitos elaborados por ele, há mais de 500 anos.

Apesar de ter sido muito criticado, atacado e perseguido, Paracelso é, na atualidade, considerado o padroeiro favorito das farmácias, laboratórios, clínicas e sociedades de vários tipos. Dentre os títulos que recebe, estão: “Trismegisto da Suíça“, “Pai da Medicina Naturalista” e “Lutero da Medicina“.

Apesar de ser considerado um cientista em sua época, Paracelso não escondia seu lado místico — motivo de ferrenhas críticas na comunidade científica. Apesar de importante, sua obra é póstuma e traz para a posteridade muito conteúdo sobre astrologia, alquimia, magia, medicina, cirurgia e até mesmo química. Foi um verdadeiro gênio.

O motivo pelo qual muitos o chamaram de mago, deve-se ao fato de que assuntos como magia, religião e ciência estão muito presentes em seus pensamentos e feitos. Paracelso acreditava que o conhecimento era composto pelo que ele acreditava ser uma dourina secreta (Filosofia Hermética), misticismo, prática alquímica e o conhecimento científico.

Paracelso e o superior desconhecido

Segundo o mago cientista, matéria e espírito (chamado de corpo astral por Paracelso) convivem e se interrelacionam. A partir dessa visão, ele usa as ciências ocultas para chegar à Medicina científica e, assim, atuar sobre o corpo astral como veículo para atingir o físico. Pura visão holística, não é mesmo?

Paracelso acreditava que a alma possui uma substância natural fluida que não nasce com o homem, mas que se forja nele. É o que hoje chamamos de “personalidade”. A “MENS” divina, ou Espírito; dá o sopro vital, confere a forma, anima e reina sobre tudo. Com base nisso, distingue duas vidas no homem: a racional e a instintiva, que corresponde aos estados alterados da consciência, como o sonho e o êxtase.

“A magia celeste não é uma arte; ela é o efeito do poder divino” (Paracelso)

Com base nessa ideia de separação entre corpo astral e físico, chega o momento de regressar ao grande oceano comum, algo muito próximo do que o psiquiatra Carl Gustav Jung chamou, no século XX, de inconsciente coletivo.

No conceito de Paracelso, a morte é um processo com um período de morte aparente e não apenas um momento. Inclusive, ele acreditava que alguns espíritos podem voltar à vida quando estão nesse estado, como aconteceu com Lázaro e Jesus.

Em um nível acima atuam os superiores desconhecidos, espíritos que inspiram grupos de pessoas para ajudá-los a despertar. Apesar da fama de mago, foi principalmente um místico, como Miguel Servet (1511-1553) e Nostradamus, dois outros notáveis médicos do século XVI parecidos com ele no temperamento e na heterodoxia.

O Mago

Como mago, Paracelso foi um operativo e não um especulativo. Experimentou tudo o que esteve no seu campo de observação, : alquimia, magia, herbalismo e cirurgia.

“Quando o mago celeste diz: vou fazer isso — no momento em que ele o diz, já está feito. De fato, aquilo que Deus quer faz-se instantaneamente. Mas isso depende também da fé do mago e da ausência de dúvida na fé.” (Paracelso)

Esses dias, em meios a minha leituras, percebi algo muito interessante, simples e que está aí, para todos verem: a vida é mágica. Sim, isso mesmo. Essa percepção me veio tão claramente após refletir sobre o “Efeito não local”, observado recentemente pela Mecânica Quântica, ao ver que o spin de um elétron não vai de um ponto a outro e sim que ele desaparece e aparece em outro ponto sem percorrer o caminho entre eles.

Inicio este tópico com essa reflexão após ler o que Paracelso diz porque é, de fato, nossa determinação em fazer algo, nossa vontade e, sobretudo com fé, que faz a mágica da vida acontecer. Para este incrível homem (mago, alquimista e cientista), o místico não age por si mesmo e nem para si, mas torna-se um intermediário, pelo qual a influência divina passa a fim de realizar aquilo que ela está destinada.

Ele está longe de ser a fonte das forças que manipula, mas sabe se colocar em posição, no diapasão das influências cósmicas para agir no sentido do bem maior.

paracelso

O Alquimista

“Todas as substâncias são venenos, não existe nada que não seja veneno. Somente a dose correta diferencia o veneno do remédio” (Paracelso)

Paracelso entregou-se com ardor e entusiasmo sem limites ao estudo da alquimia. Dizia ele: “A alquimia não visa obter exclusivamente a Pedra Filosofal; a finalidade da ciência hermética consiste em produzir essências soberanas e empregá-las devidamente na cura das doenças”. Contudo, não pode fugir à preocupação dominante da época e, durante muito tempo, ocupou-se também daquelas práticas alquímicas que ensinam a transformar em ouro os metais considerados impuros.

Em todas as suas atividades, Paracelso manteve um misticismo simbólico que contrastou com as características objetivas de um químico ou médico. Ele possuía uma certa visão romântica da Natureza, responsável por crenças que podem ser admitidas como irracionais em profissionais dessas áreas.

Paracelso reconheceu o microcosmo observando o macrocosmo. Admitiu a presença de uma força inata, vital e oculta presente no estômago (Archeus). Além disso, acreditava que a vida do homem é inseparável da vida do universo.

Por fim, neste breve resumo sobre o mago cientista, vale a pena destacar seu pioneirismo no que se refere à visão holística da medicina. Para ele, o médico não é apenas um profissional cuja finalidade é eliminar os sintomas de uma doença. Sua opinião sobre doença é, inclusive, muito próxima do conceito moderno, que se baseia numa imagem cósmica do mundo e da humanidade. Paracelso definiu a saúde como equilíbrio e doença como desequilíbrio de todas as energias presentes.

 

Bibliografia consultada:

 

Sobre o autor | Website

O que eu poderia dizer se não que sou uma estudiosa dos assuntos ocultos? Apaixonada pelo místico, pelo oculto e pelo que há além da materialidade, eu sigo estudando, buscando e tirando os véus que estavam cobrindo meus olhos. Quanto mais estudo, mas percebo que há muito o que aprender. Parafraseando o ilustre Sócrates, quanto mais estudo, mas percebo que nada sei. Espero que com minhas anotações neste blog, eu possa auxiliar quem quer que chegue por aqui.

Entre para nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!