O que é a Pedra Filosofal na Alquimia?

Entenda o que é a Pedra Filosofal, tão buscada pelos Alquimistas de todos os tempos. Saiba o que ela é, para que serve e como é preparada.

O que é a Pedra Filosofal na Alquimia?

Você sabe o que é a Pedra Filosofal? Estudando Alquimia, deparamo-nos com muitos conceitos e um deles é esse. Apesar do termo ter se popularizado com o filme Harry Potter, muita gente não sabe realmente o que quer dizer Pedra Filosofal.

Por essa razão, vamos tentar mostrar aqui o que o termo quer dizer e porque é tão importante para a Alquimia.

Afinal, o que é a Pedra Filosofal?

Antes de tudo, saiba que ela é a finalidade maior por trás da Alquimia. O alquimista que trabalha no seu laboratório está em busca dela, também chamada de Pedra dos Filósofos.

Apesar das lendas atribuírem à Alquimia uma origem mais antiga (Antigo Egito) que os historiadores (Século I e II), a ideia de Pedra Filosofal originou-se com os alquimistas de Alexandria.

Na idade média ela era tida como o Santo Gral e tornou-se não só a chave para a transmutação dos metais básicos em ouro, mas também guardava o segredo da vida eterna, a cura de todas as doenças e o caminho para a perfeição espiritual.

Na Grécia, era conhecida como crisopeia ou Coração de Ouro. E outros nomes dados à Pedra são: Magistério, Spiritus Mundi, Pedra do Sábio, Elixir, Diamante da Perfeição, dentre outros.

Na modernidade, entre outras coisas, a Pedra também ganhou conceitos como “Iluminação”, “Consciência Cósmica”, “Cálice Sagrado”, etc.

De acordo com descrições clássicas, a Pedra Filosofal é uma pedra viva, que emite luz e emana calor. Todas falam de um aspecto bruto e um sutil.

De acordo com Yedda Pereira dos Santos, no Livro: Dicionário de Alquimia – A Chave da Vida: “é o microcosmo perfeito que encerra em si, em comunhão absoluta, as energias do Universo. Mas é uma perfeição que só pode ser conseguida pelo ser humano. A Natureza não pode processá-la sozinha“.

Qual o objetivo da Pedra?

Uma vez adquirida, a Pedra Filosofal dá ao alquimista poderes especiais. Vamos ver cada um deles.

  • Transmutação da matéria: é a famosa capacidade de transformar ouro em chumbo. Do ponto de vista interior, refere-se à ascensão da consciência a níveis mais altos.
  • Panaceia universal: remédio que cura todas as doenças físicas, mentais e espirituais. Também é chamado de “Azoth”;
  • Elixir da eterna juventude: enquanto a panaceia universal garante uma vida boa e saudável, o elixir garante que essa vida não tenha fim. Conceitos como velhice e morte são ultrapassados;
  • Criação do Homúnculo: refere-se ao poder de criar a vida humana em laboratório. Em outras palavras, refere-se à criação de um novo ser, em que o alquimista é o arquiteto da sua própria existência.
Pedra Filosofal Azoth

Preparação da Pedra Filosofal

De acordo com a literatura alquímica, a Pedra poderia ser confeccionada por duas vias: a seca e a únida.

A via úmida, também chamada de caminho molhado, utilizava processos naturais e era considerada mais segura. Já a via seca dependia de calor intenso e produtos químicos poderosos para chegar á Pedra.

Interessante observar que a via úmida e seca também se aplicam à alquimia interior e não apenas de laboratório.

No trabalho alquímico da alma, a via úmida caracteriza-se pela presença de uma inspiração natural, construída gradualmente no início para depois alcançar o ferver necessário para a transformação pessoal.

Já a via seca na alquimia interior ocorria quando o iniciado tentava ascender utilizando um caminho direto para o conhecimento divino.

Resumindo: tanto em laboratório quanto em oratório, a via únida trabalha com processos lentos e graduais, os chamados “fogos lentos da natureza”; e a via seca trabalha com os “furiosos fogos da natureza inferior”.

E então, entendeu o que é a Pedra Filosofal dos Alquimistas? Deixe um comentário com sua opinião! E se você se interessa por Alquimia e Simbolismo Alquímico, conheça nosso curso sobre o assunto! Basta clicar na imagem abaixo:

Curso Simbolismo Alquímico

E claro, não deixe de acompanhar nossas redes sociais para ficar ainda mais por dentro do Hermetismo e da Alquimia. Estamos no FacebookInstagram e Youtube!

Bibliografia consultada:

HAUCK, Dennis Willian. The Complete Idiot’s Guide to Alchemy. New York: Alpha Books, 2008.

SANTOS, Yedda Pereira dos. Dicionário de Alquimia: A Chave da Vida. São Paulo: Madras, 2012.

TAMOSAUSKAS, Tiago. Principia Alchemica: o manual prático da Alquimia. Ebook Kindle.

Sobre o autor | Website

Estudante de hermetismo e esoterismo, compartilho com você material, referências e reflexões dos meus estudos nessas áreas.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!