O que é a filosofia hermética?

O que é a filosofia hermética?

Tem algum tempo que meu interesse em conhecer mais sobre o Hermetismo aumentou a tal ponto de dedicar-me ao estudo além, muito além do que é comum no Brasil, onde a grande maioria das pessoas se limita apenas ao que está escrito no Caibalion.

Senti necessidade de saber mais sobre a história do Hermetismo, além de estudar mais profundamente os textos herméticos clássicos. Tem sido uma experiência incrível e, aos poucos, vou trazendo para o blog os frutos desses estudos, assim como algumas alterações em alguns textos.

A seguir, eu reuni algumas informações que acredito que serão úteis para qualquer pessoas que se interessar por esse tipo de estudo também.

Vamos saber mais desta “filosofia”, algumas das suas características, e também da figura de Hermes Trismegistos e outos conceitos que acredito que são fundamentais. Aos poucos vou atualizando e trazendo mais informações para este artigo também.

Outro texto sobre a filosofia hermética que você pode ler é: Hermetismo: tudo o que você precisa saber

O que é hermetismo?

Trata-se da corrente de pensamentos baseados em escritos atribuídos a uma figura misteriosa conhecida como Hermes Trismegistus (grego para Hermes três vezes grande ), uma forma greco-egípcia do deus egípcio da sabedoria e da magia.

Segundo as lendas que envolvem o assunto, esses textos guardam os segredos de uma sabedoria mística antiga do Egito Antigo, e dizem que causam uma mudança em qualquer pessoa que os lê. 

Eles documentam um caminho de iluminação e paz espiritual por meio da harmonização dos elementos, tanto no corpo quanto na mente. Acredita-se que isso leva ao domínio de si mesmo e, por meio disso, à vida.

Alguns estudiosos acreditam que o Hermetismo é uma filosofia antiga que antecede todas as religiões e da qual todas as religiões se originam. 

Algumas tradições judaicas ensinam que Abraão foi ensinado por Hermes, e alguns escritores cristãos do passado acreditavam que Hermes Trismegistus foi um profeta pagão que predisse a vinda do Cristianismo.

Um dos escritos atribuídos a ele, chamados Corpus Hermeticum ou Hermetica, são pseudoepigráficos, o que significa que foram escritos por outra pessoa que não o suposto autor.

Hermes Trismegistus

Hermes Trismegistus foi, provavelmente, não uma pessoa histórica, mas uma combinação do deus egípcio Thoth da sabedoria e do deus grego Hermes, o mensageiro dos deuses. 

Esta figura misteriosa é considerada o fundador da religião, ciência, matemática, alquimia, geometria, filosofia, magia e medicina.

Hermes é creditado por ter escrito algo entre 20.000-36.500 obras, das quais 42 foram mantidas na Grande Biblioteca de Alexandria. 

Infelizmente (no entanto, contra todas as probabilidades) apenas um punhado de textos de Hermes permanece hoje, a maioria dos quais foram compilados no Corpus Hermeticum.

Acredita-se que Hermes Trismegistus obteve sua sabedoria divina em transes meditativos. Seu conhecimento, que cobria tópicos como química, arte, direito, magia, medicina, música, filosofia, matemática, geografia e anatomia, era tão vasto e abrangente que os antigos egípcios o chamavam de comunicador ou mensageiro dos deuses.

Um amálgama de pessoas

Hermes Trismegistus pode ter sido um rei vivo real, um sacerdote e um filósofo, bem como um sábio, um feiticeiro e um cientista. Ele também poderia ser conhecido por muitos nomes.

Acredita-se que Hermes foi, na verdade, um amálgama de várias pessoas e figuras mitológicas da história antiga, e a principal função de suas várias “encarnações” era poder transcrever a mensagem de deus.

Algumas das figuras mitológicas e históricas associadas a Hermes Trismegistus são:

Thoth (paganismo egípcio)

Deus egípcio de sabedoria, aprendizado e comunicações. Ele é o escriba dos deuses e acredita-se que tenha inventado o alfabeto, a linguagem e a escrita. 

Os egípcios o creditaram como o autor de todas as obras de filosofia, ciência, sabedoria, religião e magia. Acredita-se que Thoth pode ter sido na verdade um rei-sacerdote egípcio e filósofo que teria vivido em algum lugar por volta de 2.000-1.200 aC;

Hermes (paganismo grego)

Os gregos antigos identificavam Thoth com Hermes, filho de Zeus e deus da ciência, linguagem, comércio e escrita, bem como o mensageiro dos deuses e o primeiro professor de alquimia. 

Hermes também foi considerado o inventor da astrologia, astronomia, geometria, matemática, botânica, teologia, medicina – basicamente todos os ramos do conhecimento.

Mercúrio (paganismo romano)

A adaptação romana de Hermes é o deus Mercúrio, patrono do comércio.

Enoch/Metatron (figura bíblica no judaísmo e no cristianismo)

Enoch é o bisavô de Noé que ascende ao céu e se torna o arcanjo Metatron, um escriba celestial.

Idris (profeta islâmico)

Versão islâmica de Enoque.

Nabu (babilônico)

Deus da sabedoria e da escrita, escriba de Marduk e guardião das Tábuas do Destino;

Akhenaton (Faraó egípcio)

Reinando entre 1.353-1.336 aC, Akhenaton tentou tornar o Egito pagão monoteísta, sob um deus sol. Tuy, sua mãe, provavelmente era de origem hebraica e ele foi expulso do Egito. A cidade com mais monumentos a Akhenaton é a cidade de Hermópolis, que é dedicada a Hermes Trismegistus;

Moisés (judaísmo, cristianismo e islamismo)

Moisés foi um príncipe egípcio de herança hebraica, que viveu no Egito em algum lugar entre 2.000-1.200 AC. Ele estabeleceu uma religião monoteísta no Egito pagão, mas foi forçado ao exílio. Moisés é creditado com a escrita da Torá e os Dez Mandamentos, que foram dados a ele por Deus.

A Filosofia Hermética

Embora eu tenha ressalvas de chamar o hermetismo de filosofia, pois acredito que seus ensinamentos são mais uma teosofia (revelações da verdade divina) e não produtos da razão humana, vamos conhecer um pouco alguns “conceitos” presentes nesta “filosofia hermética”.

Deus como “o Todo”

No Hermetismo, a realidade última é chamada por muitos nomes, como Deus, Pai, Senhor, Mente, o Criador, o Todo, o Um, etc.

No entanto, a visão hermética da divindade é que ela é tanto o tudo e o criador de tudo: todas as coisas criadas preexistem em Deus, e Deus é a natureza do cosmos (sendo tanto a substância da qual ele procede como o princípio governante que o ordena), mas as próprias coisas e o cosmos eram tudo criado por Deus. Assim, Deus cria a si mesmo, e é transcendente (como o criador do cosmos) e imanente (como o cosmos criado).

Prisca Theologia

Há quem defenda que o Hermetismo é uma prisca theologia, que é a doutrina de que existe uma teologia única e verdadeira, que existe em todas as religiões e que foi dada por Deus ao homem na antiguidade. 

Para demonstrar a verdade da doutrina da prisca theologia, os cristãos se apropriaram dos ensinamentos da filosofia hermética para seus propósitos. 

Por esse relato, Hermes Trismegistus era (de acordo com os pais da igreja cristã) um contemporâneo de Moisés ou o terceiro em uma linhagem de homens chamados Hermes – Enoque, Noé e o rei-sacerdote egípcio que é conhecido por nós como Hermes Trismegistus.

“Assim como é abaixo”

“Assim como acima, assim como abaixo” é uma paráfrase moderna popular do segundo verso da Tábua de Esmeralda, conforme aparece em sua tradução latina medieval mais amplamente difundida:

“Quod est superius est sicut quod inferius, et quod inferius est sicut quod est superius.”

“O que está acima é semelhante ao que está abaixo, e o que está abaixo é semelhante ao que está acima.”

As Três Partes da Sabedoria

Astrologia (a operação das estrelas)

Na filosofia hermética, é provável que os movimentos dos planetas tenham um significado além das leis da física e tenham valor metafórico como símbolos na mente do Todo, ou Deus. 

A astrologia tem influências sobre a Terra, mas não dita nossas ações, e a sabedoria é adquirida quando sabemos quais são essas influências e como lidar com elas;

Alquimia (a operação do Sol)

A alquimia não é meramente a transformação do chumbo em ouro. É uma investigação da constituição espiritual, ou vida, da matéria e da existência material por meio da aplicação dos mistérios do nascimento, morte e ressurreição. 

As várias etapas da destilação química e da fermentação, entre outros processos, são aspectos desses mistérios que, quando aplicados, prendem os processos da natureza para levar um corpo natural à perfeição. Esta perfeição é a realização da magnum opus (latim para “Grande Obra”);

Teurgia (operação dos deuses)

Existem dois tipos diferentes de magia, opostos um ao outro. A primeira é Goetia, magia negra baseada em uma aliança com espíritos malignos (como demônios). 

A segunda é a Teurgia , magia divina baseada em uma aliança com espíritos divinos (como anjos, arcanjos, deuses).

“Teurgia” se traduz em “A Ciência ou Arte das Obras Divinas” e é o aspecto prático da arte hermética da alquimia. Além disso, a alquimia é vista como a “chave” para a teurgia, cujo objetivo final é se unir a contrapartes superiores, levando à obtenção da Consciência Divina.

Reencarnação

A reencarnação é mencionada em textos herméticos.

Hermes Trismegistus perguntou:

“Ó filho, por quantos corpos temos que passar, por quantos bandos de demônios, por quantas séries de repetições e ciclos das estrelas, antes de nos apressarmos para o Único?”

O bem e o mal

Hermes explica no Corpus Hermeticum que Nous (Inteligência) traz o bem ou o mal, dependendo se alguém recebe as percepções de Deus ou de demônios. 

Deus produz o bem, mas os demônios geram o mal. Entre os males causados ​​por demônios estão: “assassinato, adultério, violência ao pai, impiedade, sacrilégio, estrangulamento, suicídio de um penhasco e todas as outras ações demoníacas”.

Isso fornece evidências de que a filosofia hermética inclui um senso de moralidade. No entanto, a palavra “bom” é usada de forma muito estrita. É restrito a referências a Deus. 

É apenas Deus (no sentido do Nous, não no sentido do Todo) que está completamente livre do mal. Os homens são impedidos de ser bons porque o homem, tendo um corpo, é consumido por sua natureza física e ignora o Bem Supremo.

Diz-se que o foco na vida material é a única coisa que ofende a Deus:

“Como as procissões que passam na estrada não podem alcançar nada por si mesmas, mas ainda assim obstruem os outros, então esses homens apenas processam através do universo, guiados pelos prazeres do corpo.”

É preciso criar, é preciso fazer algo positivo na vida, porque Deus é um poder gerador. Não criar nada deixa a pessoa “estéril” – incapaz de realizar qualquer coisa.

Cosmogonia

Uma história da criação é contada por Poimandres a Hermes no Corpus Hermeticum. Começa quando Deus, por um ato de vontade, cria a matéria primária que deve constituir o cosmos. 

Da matéria primária, Deus separa os quatro elementos (Ar, Fogo, Água e Terra). Então, ordena os elementos nos sete céus (muitas vezes considerados as esferas de Mercúrio, Vênus, Marte, Júpiter, Saturno, o Sol e a Lua, que viajam em círculos e governam o destino).

“A Palavra” então salta a partir da materialização de quatro elementos, que eram pouco inteligentes. Nous então faz os sete céus girarem e deles surgem criaturas sem fala. A terra é então separada da água e os animais (exceto o homem) são gerados.

Deus então criou o homem andrógino, à imagem de Deus, e entregou sua criação.

A queda do homem

O homem observou cuidadosamente a criação do Nous e recebeu de Deus a autoridade do homem sobre toda a criação. 

O homem então se elevou acima dos caminhos das esferas para ver melhor a criação. Ele então mostrou a forma do Todo para a Natureza. 

A natureza se apaixonou pelo Todo, e o homem, vendo seu reflexo na água, apaixonou-se pela Natureza e desejou habitar nela. 

Imediatamente, o homem tornou-se um com a Natureza e tornou-se escravo de suas limitações, como o sono e o sexo. 

Desta forma, o homem ficou sem fala – tendo perdido “a Palavra (Logos)” – e se tornou “duplo”, sendo mortal em corpo, mas imortal em espírito, e tendo autoridade sobre toda a criação ainda sujeito ao destino.

Textos herméticos

Alguns dos textos da filosofia hermética mais conhecidos são:

Corpus Hermeticum

É o texto hermético mais conhecido. Possui 18 tratados, que contêm diálogos entre Hermes Trismegistus e uma série de outros homens. 

O primeiro capítulo contém um diálogo entre Poimandres e Hermes. Poimandres ensina os segredos do universo a Hermes. Em capítulos posteriores, Hermes ensina outros, como seu filho Tat e Asclépio.

Tábua de Esmeralda

É um texto atribuído a Hermes Trismegistus que foi altamente considerado pelos alquimistas europeus e islâmicos como a base de sua arte. 

O texto da Tábua de Esmeralda aparece pela primeira vez em várias fontes árabes do início da Idade Média, a mais antiga das quais data do final do século VIII ou início do século IX. 

Entre os neo-herméticos, “Como acima, assim embaixo” (uma paráfrase moderna popular do segundo verso da Epístola ) tornou-se uma frase de efeito frequentemente citada.

Asclepius (também conhecido como The Perfect Discurso, The Perfect sermão, ou O Ensino Perfeito)

Foi escrito no 2º ou 3º século dC e é um trabalho hermético semelhante em conteúdo do Corpus Hermeticum. Foi uma das poucas obras herméticas disponíveis para leitores em latim medieval.

Outros textos herméticos originais importantes incluem “Ísis, a profetisa de seu filho Hórus”, que consiste em um longo diálogo entre Ísis e Hórus sobre a queda do homem e outros assuntos; as “Definições de Hermes Trismegistus para Asclepius”; e são alguns fragmentos, que são principalmente preservados no miscelânea de Stobaeus.

A Destruição da Filosofia Hermética

Grande parte da literatura hermética e alquímica foi destruída ao longo da história antiga e o restante mudou para o mundo islâmico no período entre 400-600 DC, eventualmente emergindo na Europa medieval na Renascença.

Os cristãos, começando com o imperador Constantino e seus sucessores, apagaram quase todos os traços do hermetismo de 312d.C até meados do século 6, destruindo templos e textos sagrados e matando milhares de pagãos, muitos dos quais eram herméticos.

E então, o que achou do texto? Se você tiver alguma dúvida sobre a filosofia hermética, deixe seu comentário!

Sobre o autor | Website

Estudante de hermetismo e esoterismo, compartilho com você material, referências e reflexões dos meus estudos nessas áreas.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe um comentário

*

Seja o primeiro a comentar!