O Azoth do Filósofo, de Basil Valentine

O Azoth do Filósofo, de Basil Valentine

O Azoth do filósofo foi criado por Basil Valentine, um famoso alquimista dos anos 1600. Mas afinal, o que é o Azoth do Filósofo? Qual a simbologia por trás dele? Certamente é uma gravura para meditação, que traz muitas reflexões.

Vamos lá tentar decifrar alguns dos seus códigos.

O que é Azoth?

O Azoth é o nome dado pelos alquimistas ao mercúrio. Não é a mesma coisa que o elemento que atualmente chamamos de mercúrio. Mercúrio/Azoth é a força divina da vida que anima a matéria. Essencialmente, o que faz as coisas viverem e não apenas pilhas de matéria estática.

Os alquimistas procuraram a pedra filosofal, a grande obra, a tudo. A pedra — grande obra do filósofo —, era uma metáfora usadas pelos alquimistas para descrever a iluminação, o que para eles significava devolver sua consciência imortal à mente de Deus.Qualquer que seja o termo que você atribuir a ela, esta imagem fornece dicas de como concluir o processo do começo ao fim.

O nome:  Alguns consideram o nome Azoth como significativo por si só. O “A” e o “Z” representam o início e o fim, como o ALPHA e o ÔMEGA. Isso compreende tudo, ou seja, a mente de Deus.

O rosto no centro: este é o próprio alquimista. Este é o ponto focal, e onde alguém focaria ou meditaria quando tentasse entender a imagem.

Os triângulos:  o triângulo apontando para baixo aponta para o primeiro de uma série de mais 7 triângulos. Cada um é um passo no caminho do processo alquímico: calcinação, dissolução, separação, conjunção, fermentação, destilação e coagulação.

As etapas são mostradas na ordem de 1 a 7, começando de onde o triângulo dos alquimistas está voltado para os pontos. Também estão incluídos os símbolos do metal equiparados a esse estágio.

Esses símbolos também têm uma das 7 esferas celestes associadas a eles, como sol, lua, mercúrio, marte etc. É importante observar que o processo e as etapas listadas aqui, embora por sua parte científico, tenham um significado mais profundo.

Azoth do Filósofo

O Azoth do Filósofo, de Basil Valentine

Um axioma alquímico importante afirma “Acima como Abaixo“. Portanto, se você pode aplicar essas etapas para purificar a matéria (isto é, transformar chumbo em ouro), o mesmo processo pode ser verdadeiro para a alma humana. (Daí a lei, como acima e abaixo).

No final, essa linha alternativa de pensamento era contrária às crenças da igreja na época e era considerada heráldica. Como tal, tudo estava oculto e parecia, na superfície, muito científico.

Vitriol:  “Visita interiora terrae retificando inventa occultum lapidem”. A frase escrita entre os triângulos se traduz aproximadamente: “Visite o interior da Terra e, retificando, você encontrará a pedra oculta“. Era uma frase bem conhecida dos alquimistas e é chamada de vitríolo; basta pegar a primeira letra de cada palavra.

O corpo alquimista:  os membros que surgem cada um podem ser atribuídos a um dos quatro elementos primitivos. Os pés estão tocando a água e a terra. Uma mão segura uma tocha de reprovação e a outra uma pena que representa o ar. O significado desses elementos para o grande trabalho é um assunto próprio, mas o importante é observar sua presença.

Rei e rainha:  de ambos os lados do alquimista estão o rei e a rainha. Isso simboliza a dualidade da grande obra e que sempre haverá equilíbrio, feminino e masculino em todas as coisas. O macho está à esquerda, representando o lado esquerdo do cérebro, e a fêmea, à direita, representando o lado direito do cérebro.

O rei simboliza:

  • o poder do pensamento;
  • a mente;
  • ele é Sol;
  • o rei é confiante e dominante no mundo físico (espada / escudo / sentado no leão);
  • um dragão (a mente inconsciente) fica escondido embaixo, pronto para atacar se o rei se tornar confiante devido ao ego;
  • ele ri alto e é extrovertido.

A rainha simboliza:

  • o poder dos sentimentos, emoções;
  • ela é luna, a lua;
  • o grande peixe que ela monta e controla são as fraquezas do rei;
  • o estoque de trigo atrás dela representa sua fertilidade;
  • ela é introvertida e triste.

Na alquimia, a união dos aspectos masculino e feminino é essencial. Abandonar o ego e abraçar as qualidades feminino/masculino é um passo para a perfeição.

Corpo/Alma/Espírito:  Todos presentes e representados pelo sol, lua e forma de cubo (entre os pés do alquimista). Você também notará as 5 estrelas próximas ao cubo.

Eles representam a Quintessência, o quinto elemento procurado, o segredo que unia os outros elementos. Você notará a Salamandra Flamejante no topo da alma, indicando sua natureza ardente, enquanto o pássaro está presente acima do espírito, pois ressoa com a presença refrescante da lua.

O Caduceu:  o cajado alado transportado por Hermes está localizado onde deveria estar a cabeça do alquimista (no topo do corpo, entre a Salamandra e o pássaro).

Isso indica que todo esse conhecimento apresentado é a sabedoria de Thoth. Mais uma vez, uma página inteira pode ser escrita sobre a relevância disso. Inclusive, temos um artigo sobre a simbologia do Caduceu de Mercúrio.

Gostou do nosso artigo sobre a interpretação simbólica do Azoth do Filósofo, de Basil Valentine? Aproveite e compartilhe com seus amigos que também se interessam pelo assunto!

Sobre o autor | Website

O que eu poderia dizer se não que sou uma estudiosa dos assuntos ocultos? Apaixonada pelo místico, pelo oculto e pelo que há além da materialidade, eu sigo estudando, buscando e tirando os véus que estavam cobrindo meus olhos. Quanto mais estudo, mas percebo que há muito o que aprender. Parafraseando o ilustre Sócrates, quanto mais estudo, mas percebo que nada sei. Espero que com minhas anotações neste blog, eu possa auxiliar quem quer que chegue por aqui.

Entre para nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!