Acompanhe nossas atualizações!

Acompanhe nossas atualizações!

Inscreva-se na nossa lista VIP e seja informado sobre novos artigos!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Em qual paradigma você vive? Preste atenção, pois ele determina como é sua vida!

Em qual paradigma você vive? Preste atenção, pois ele determina como é sua vida!

Paradigma é como um modelo, algo que serve como padrão. Antes de perguntamos se você vive em um é preciso explicar o que é isso, não é mesmo? Afinal, muitas pessoas não sabem o que é um paradigma.

Segundo o filósofo Thomas Kuhn,

“paradigmas são as realizações cientificas universalmente reconhecidas que, durante algum tempo, fornecem problemas e soluções modelares para uma comunidade de praticantes de uma ciência”

No livro Mentes In-formadas, Hélio Couto define paradigma como: “sistema de crenças em que estamos inseridos e que permeia todas as nossas ações, saibamos disso ou não“.

De forma mais simples, é nada mais que um conceito sobre algo ou alguma coisa que foi estabelecido por uma sociedade. Na maioria das vezes, as pessoas que seguem alguns paradigmas nem sabem quem e o que os estabeleceu, mas eles estão tão enraizados, que são seguidos a ferro e fogo. 

Paradigmas comuns

Podemos viver sob vários paradigmas — bons e ruins. Veja alguns exemplos deles:

  • dinheiro não traz felicidade;
  • minha religião é melhor que a sua;
  • você é aquilo que come;
  • nenhum homem — ou mulher — presta;
  • pau que nasce torto nunca endireita;
  • é muito fácil ser feliz, basta querer.

Como você pode ver, são expressões bastante comuns. A questão é que elas não são apenas palavras. Os paradigmas determinam a realidade de quem os segue.

Quando uma pessoa acredita que “dinheiro é ruim”, que “não traz felicidade” ou que “rico está condenado ao inferno” (isso mesmo, tem gente que pensa isso!), dificilmente terá uma vida financeira saudável.

Como você acha que o dinheiro fluirá para você, se acredita — lá no seu inconsciente — que ele é ruim, que leva ao inferno e que só traz infelicidade?

De forma também inconsciente, você acaba não se afinizando com ele (o dinheiro) e o afastará, assim como afastará todas as oportunidades de atrai-lo.

Do mesmo modo acontece com quem acredita que homem ou mulher não presta. Essa pessoa está fadada a ter relacionamentos desastrosos e tudo isso porque nós atraímos aquilo que acreditamos.

Deu para entender de forma clara o que é um paradigma? Então vamos aprofundar mais!

Paradigma materialista

Assim como existem esses padrões que citamos, há paradigmas mais abrangentes como o paradigma materialista e o sistêmico. Falaremos primeiro do materialista, que também é conhecido como mecanicista.

Por que vamos falar sobre esses paradigmas mais abrangentes? Porque muitas das vezes os outros que citamos estão dentro deles. A principal fonte que utilizamos foi o livro Mentes In-formadas, do Professor Hélio Couto.

O Paradigma materialista — mecanicista, cartesiano-newtoniano — surgiu principalmente com o advento da ciência, como a conhecemos hoje.

Baseia-se nas descobertas de Isaac Newton e mais tarde consolidada pelas ideias de René Descartes, esse paradigma vigora até hoje, dificultando a construção de um novo pensamento, inclusive aqueles defendidos pela Mecânica Quântica.

Infelizmente a sociedade é até hoje fortemente influenciada por essas ideias. Por isso, permanece cristalizada no tempo, sem condições de evoluir e alçar novos voos.

A seguir, veja quais as características desse modelo da realidade:

  • leva em conta apenas a matéria, negando a espiritualidade do Universo (Materialista);
  • divide o homem em duas partes: corpo e mente. Além disso, o separa do resto do Universo (dualista);
  • reduz o funcionamento do Universo e do homem apenas à interações entre os átomos e moléculas (reducionista); e
  • concebe o Universo como um imenso e complexo mecanismo de relógio, cujas peças com defeito devem ser substituídas para restituir o bom funcionamento do conjunto (mecanicista).

Como você pode ver, esse é o paradigma vigente e não é muito difícil identificá-lo. A grande questão aqui é que esse modelo da realidade é que sustenta a linha de pensamento de todas as ciências modernas de hoje: psicologia, medicina, química, física, sociologia, economia etc.

Esse paradigma preza pela individualidade e isso é a causa de muitos problemas no mundo atual. Além disso, privilegia a luta e a competição. Pode-se dizer que a crise que estamos vivemos hoje é o resultado de pensar a realidade desta forma.

Em última análise, podemos concluir que o paradigma cartesiano é o da desunião, como disse o Professor Hélio Couto no livro Mentes In-formadas.

“Separa-se corpo e alma, razão e emoção, o ser humano e a natureza, eu e o outro e por aí vai…”

Veja também: Armadilhas no Caminho da Ascensão

Paradigma Sistêmico

Apesar de hoje em dia vigorar ainda o paradigma cartesiano, uma coisa é certa: nos últimos anos estamos caminhando para uma mudança paradigmática, em que saímos do modelo materialista e passamos para o modelo sistêmico da realidade.

Esse grande passo tem sido possível graças às duas grandes revoluções no campo da Física: a Física Quântica — também chamada de Mecânica Quântica — e a Física Relativística.

A partir de então, surgiram outras maneiras de compreender o Universo, totalmente diferente — poderia até dizer oposta — ao outro modelo.

O paradigma sistêmico — também chamado de holístico ou quântico-relativístico — vem para trazer luz à humanidade, uma vez que descortina o véu da ignorância e nos mostra que é possível sim que espiritualidade e ciência caminhe juntas.

Neste novo modelo de realidade não predomina mais o separatismo e a concepção mecanicista e materialista do universo. Veja a seguir as características mais marcantes desse modelo da realidade:

  • aceita que o livre-arbítrio é uma realidade;
  • aceita a Consciência como realidade última e única;
  • existe vida após a morte física;
  • entende que o Universo foi criado e é mantido por um poder inteligente, uma intenção organizadora e que está em constante evolução;
  • reconhece que as ferramentas para interagir com o meio são a razão, os cinco sentidos, a intuição e os poderes psi;
  • nossa identidade se constitui de: mente, corpo e alma;
  • estamos todos entrelaçados, por isso, não faz nenhum sentido pensarmos em termos de inimigos; e
  • existem seres não-físicos em processo de evolução.

Compreendeu a diferença de paradigmas? O professor Hélio Couto sempre fala que esse novo modelo da realidade resolve nossos problemas atuais, causados em sua maioria pela ideia de separação e pelo forte conceito materialista da vida.

Pelo paradigma sistêmico, os seres estão todos conectados, regidos por uma única consciência que é única e representa a realidade última. Para os materialistas é muito difícil conceber as ideias que a Mecânica Quântica traz, pois vai totalmente de encontro ao que eles acreditam.

E e aí, em qual paradigma você vive? Não se esqueça que ele — ou eles — é que moldam a sua realidade.

Tags: | |

Sobre o Autor

Lidiane Franqui
Lidiane Franqui

Eu tenho uma missão e quero cumpri-la com amor e paciência. Cada texto ou reflexão minha é parte dessa missão e eu vos convido a fazer parte dela.

6 Comentários


Deixe uma resposta