Diferença entre esoterismo e exoterismo

Diferença entre esoterismo e exoterismo
0
(0)

Em seus estudos, tenho certeza que já se deparou por aí com duas palavras “homófonas”, ou seja, iguais na pronúncia e diferentes na grafia e no significado. Pois bem, estamos falando (e vamos falar neste texto) sobre duas delas: esoterismo e exoterismo.

Certa de que você já se pegou a diferença entre elas, vamos agora finalmente descobrir e não se confundir mais.

Esoterismo e exoterismo: qual diferença?

Antes de tudo, lembremos que todos os símbolos sagrados expressos na natureza, e que foram adquirimos pelo homem mediante revelação divina têm duas faces: uma oculta e outra aparente, ou seja, um aspecto esotético e outro exotérico.

Enquanto o homem considerado profano pode perceber somente o exterior (ou aspecto exotérico) do símbolo, devido á perda de conexão que ocorreu com sua origem mítica e realidade espiritual, o iniciado tenta descobrir nele o que é mais essencial, aquilo que está no seu núcleo, não o que é sensível e sim o inteligível e cognoscível.

Ele tenta acessar o esotérico, a estrutura invisível do cosm e do pensamento, que constitui também o ser mais profunso do próprio homem, em sua natureza imortal.

Ao tom ar contato e identificar-se com essa condição superior de si mesmo e do Todo, constata que signos e estruturas simbólicas aparentemente diversas são, no entanto, idênticas em significado e origem; e que um mesmo pensamento ou ideia pode ser expresso com distintas linguagens e roupagens sem se alterar, de modo algum, seu conteúdo único e essencial. Percebe também que as ideias universais e eternas não podem variar, ainda que na aparência se manifestem de modo passageiro.

O Cosmo – a criação inteira v contém uma face oculta: sua estrutura invisível e misteriosa, que o faz possível e que é sua realidade esotérica, mas que, ao se manifestar, reflete-se em miríades de seres de variadíssimas formas que lhe dão uma face exotérica, sua aparência temporal e mutável.

No homem sucede o mesmo: o corpo e as circunstâncias individuais são as que constituem seu aspecto exotérico e aparente, sendo o espírito o mais esotérico, a única Realidade, sua origem mais profunda e seu destino mais alto.

Se os cinco sentidos humanos são capazes de mostrar o físico, a realidade sensível, esse sexto sentido da intuição inteligente e da perscrutação interna, que se adquire pela Iniciação nos Mistérios, permite ver mais além; dá acesso a uma região Metafísica na qual os seres e as coisas não estão sujeitos já ao devir, nem marcados pela morte.

Essa visão esotérica identifica ao homem com o “Si Mesmo”, ou seja, com seu verdadeiro Ser, sua essência imortal da qual toma consciência graças ao Conhecimento e ao lembrar de Si. Enquanto o exotérico nos mostra o múltiplo e passageiro, o esotérico nos leva para o único e imutável.

Com um olhar esotérico, que se irá abrindo gradualmente em nosso caminho interior, iremos compreendendo e realizando que o espírito do Pai, seu Ser mais interno, é idêntico ao espírito do Filho. Esta consciência de Unidade é a meta de todo trabalho de ordem esotérica e iniciática bem entendido. Para Ela se dirigem todos nossos esforços; e nela colocamos nosso pensamento e nossa concentração interior.

Fonte consultada.

O que você achou do texto?

Clique nas estrelas

Média da classificação 0 / 5. Número de votos: 0

Nenhum voto até agora! Seja o primeiro a avaliar este post.

Sobre o autor | Website

Meu nome é Lidiane Franqui. Sou escritora e autodidata. Na minha jornada de autoconhecimento, tenho me deparado com áreas de estudo como Hermetismo, Alquimia, Kabbalah, assim como áreas mais modernas como a Mecânica Quântica e a teoria monista do Universo. Seja bem-vindo e espero que aprecie o conteúdo compartilhado neste blog!

Entre para nossa lista VIP e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

100% livre de spam.

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!