Acompanhe nossas atualizações!

Acompanhe nossas atualizações!

Inscreva-se na nossa lista VIP e seja informado sobre novos artigos!

Não enviamos spam. Seu e-mail está 100% seguro!

Como dissolver nossas sombras? Solta tudo! Joga luz nelas!

Como dissolver nossas sombras? Solta tudo! Joga luz nelas!

Temos dentro de nós luz e ausência de luz. Somos seres duais, como tudo no Universo. Absolutamente tudo tem dois lados: bem e mal, feio e bonito, rico e pobre, alto e baixo etc.

Com base nisso, no nosso processo de autoconhecimento, devemos aceitar que temos sombras. Reconhecer a ausência de luz em nós é dar um passo adiante no caminho evolutivo.

Muita gente se engana acreditando que deve ser bonzinho só porque está em processo de autoconhecimento ou participa de uma religião.

Nem sempre a pessoa que veste uma máscara de bom samaritano realmente é. Certa vez, a psicóloga e terapeuta Rosineide Bello disse em um de seus vídeos que nem todo mundo que aparenta bondade traz essa aparência espiritual.

Muitas vezes, pessoas bonitas, bem arrumadas e com sorriso no rosto possuem um aspecto grotesco espiritualmente falando. Isso acontece porque nossos pensamentos e ações afetam negativamente — e positivamente — nossa aparência no astral.

Lá não dá para usar máscara. Ou você é luz ou é ausência da mesma.

Sendo assim, a grande questão aqui não é a sombra em si — uma vez que todos a possuímos em algum grau —, mas a negação dela.  Em vez de mascará-la, precisamos encará-la, reconhecê-la. Só assim, poderemos iniciar o trabalho de transmutação.

Quando nos negamos a fazer isso, a sombra não vem à tona. Ela se instala no inconsciente e começa a, de certa forma, comandar a nossa vida.

O que são as sombras?

Segundo o Hélio Couto, a sombra pode ser qualquer pensamento, sentimento, crença reprimida, tudo que é desagradável e o ego não quer se conscientizar. Essas coisas são suprimidas e jogadas no inconsciente.

O problema é que basta acontecer alguma coisa que não conseguimos controlar para essas sombras reagirem e criarem ainda mais problemas.

Como você pode ver, a grande questão está em reprimir, não em ter sombras. O problema não é o comportamento ou pensamento questionável que temos, mas a forma como lidamos com isso.

Jogar a poeira para baixo do tapete não é nada legal. Quando você o levantar, tudo virá à tona. Assim são as sombras que jogamos para baixo do tapete, que é nosso inconsciente.

“Quando a pessoa é espontânea, não manipula, vive como sua essência. Praticamente a pessoa não tem problemas, por que ela não cria sombras. Se ela tem sentimentos, ela fala. Ela expressa! Mesmo que seja sozinha! Mas expressa o sentimento que tem.” Hélio Couto

Entendeu a questão aqui?

Precisamos trazer nossas sombras à tona. Só assim saberemos que elas existem e só desse modo poderemos fazer alguma coisa para trabalhá-las. Esse é o processo de autoconhecimento: conhecer para mudar.

Por fim, a dica que o Hélio nos dá para diminuir o poder da sombra é perdoar, soltar. Nada de se reprimir. Sentimentos, pensamentos, ações. Coloca tudo para fora. Vai doer? Vai. É desagradável? É. Mas, lembre-se de que soltando tudo, deixando às claras, as coisas andam.

Somente o ego tem interesse em esconder essa parte de nós, pois quer se mostrar perfeito. Ele quer elogios e a falsa sensação da perfeição. Temos que fechar os ouvidos para o ego e ser o mais espontâneo possível. Quando colocarmos nossas sombras para fora, nos sentiremos mais leves. Isso é evoluir. Isso é crescer.

Sabendo como tudo isso funciona, dificilmente permitiremos que novas sombras se instalem. Elas virão — pensamentos, sentimentos, ações —, mas em vez de reprimi-las, vamos transmutá-las, às claras.

“O ego não quer saber de pessoas que querem fazer você enxergar a sua própria sombra. Uma das coisas que precisamos ter é a compaixão. O ser que aceita a  própria sombra sabe que o outro também tem. É inútil chegar na luz sem olhar para minha sombra.

Olhe para dentro e veja os sentimentos que você reprime. O ego não deixa mexer na sombra. A sombra não quer que saiamos da zona de conforto. As crenças e a filosofia de vida de uma sociedade é a sombra coletiva.

Como dissolve uma sombra? Joga luz no buraco! Acaba a escuridão. Portanto, é só jogar luz na consciência. Só isto! Deixar a luz entrar. O problema é que para luz passar a resistência é enorme.

A luz entra, ilumina a sombra, cura, perdoa, aceita mais e na medida que a pessoa tiver a vontade de fazer esta limpeza, isto pode ser muito rápido.” Hélio Couto

Tags: | |

Sobre o Autor

Lidiane Franqui
Lidiane Franqui

Eu tenho uma missão e quero cumpri-la com amor e paciência. Cada texto ou reflexão minha é parte dessa missão e eu vos convido a fazer parte dela.

0 Comentários


Deixe uma resposta