Autoconhecimento Filosofia Hermética O Caibalion Ocultismo

7 lições do livro “O Caibalion” para você aprender

Escrito por Lidiane Franqui

O livro “Caibalion” é uma obra que está em bastante evidência na atualidade. Diferentemente do que se praticava antigamente, quando o conhecimento era fechado nas escolas iniciáticas, — e passado de lábios a ouvidos — hoje em dia ele está sendo passado para um maior número de pessoas.

Eu sempre digo que estamos em um época em que “existem mais pessoas prontas” para ouvir e ler sobre coisas que antes eram restritas apenas para poucos.

E o Caibalion, que foi publicado em 1908, é uma das obras que traz lá um “quê” de novo pensamento, mas que nem por isso deixa de cumprir seu papel de trazer o Hermetismo, em especial as Leis Universais, ao conhecimento de um maior número de pessoas.

Para ajudar quem está conhecendo o Hermetismo por meio do Caibalion e vislumbrando pela primeira vez suas luzes, selecionei 7 lições do livro O Caibalion que cumpre bem seu papel.

1. “Quando os ouvidos do estudante estão preparados para ouvir, logo vêm os lábios da sabedoria enchê-los de sabedoria.”

Essa lição é muito importante e, apesar de parecer ter aplicação nos tempos em que o conhecimento era passado apenas a alguns eleitos, geração após geração, de lábios a ouvidos; tem aplicação nos dias atuais e nos ensina muito.

Muitas vezes, na nossa busca por autoconhecimento, sentimo-nos perdidos, sem saber que caminho percorrer. Sentimos necessidade de “mestres”, “manuais”. Mas a verdade é que quando estamos prontos para recebê-lo, os lábios da sabedoria vêm nos encher com sua sabedoria.

É aquele velho ditado: quando o discípulo está pronto, o Mestre aparece. Inclusive, esse Mestre nem sempre está lá fora. Nem sempre é alguém.

O Mestre é nossa própria intuição, a voz serena e inabalável da nossa Centelha Divina, nosso Nous Divino, a Consciência Superior que habita cada um de nós.

2. “A Alquimia não fala da transmutação de um tipo de metal em outro, mas da transmutação de um tipo de Vibração Mental em outra.”

Quem nunca ouviu falar de Alquimia como a arte de transformar metais inferiores em ouro? E a Pedra Filosofal? Para quem é leigo, falar desse assunto parece coisa dos antigos, dos magos trancados em suas salas secretas.

O que o Caibalion nos diz com essa lição é que a Alquimia Mental é uma possibilidade. Que transmutar a mente, as vibrações é possível.

Que na verdade é essa a verdadeira Alquimia Hermética. Tanto a Lei do Mentalismo como a Lei de Polaridade nos dá embasamento para acreditar que é possível transmutar vibrações e estados mentais. E essa é a verdadeira Alquimia.

Como diz a professora Lúcia Helena Galvão nas suas palestras, a Alquimia visa, mais do que transformar metais em outro, a transmutação do homem de chumbo em homem de ouro.

3. “Tudo o que existe se encontra em constante vibração.”

Tudo está em movimento, nada está parado. Essa lição diz respeito à Lei de Vibração — assunto bastante atual, inclusive. Experimentos da Física Quântica demonstraram nas últimas décadas que somos feitos de energia. Não só eu e você, mas tudo o que existe no Universo.

As manifestações da Matéria, da Energia, da Mente e até mesmo do Espírito resultam de uma escala com vários graus de vibração. Desde o puro Espírito até a forma mais grosseira de matéria; resultam do ritmo vibracional.

4. “Os opostos consistem da mesma força, diferindo apenas em graus.”

Essa lição que o Caibalion nos diz que, na verdade, não existem opostos. Até mesmo o que se parece antagônico para nós — como o amor e o ódio, por exemplo —, são a mesma força, diferindo apenas em grau. O alto e o baixo também, assim como a luz e a escuridão, o bem e o mal, dentre outras coisas.

Em uma escala de calor e frio, onde começa um e termina o outro? Difícil de medir não é mesmo? É possível ir de um polo a outro, de uma vibração a outra, por meio da transmutação mental. Por isso a Alquimia está diretamente associada ao Princípio de Vibração e Polaridade.

lições do livro O Caibalion

5. “É perfeitamente possível mudar ou transmutar vibrações de ódio em vibrações de amor”.

Como já foi dito, pela Lei de Polaridade é possível a transmutação mental das vibrações de ódio em amor. Isso se dá pelo fato de que as duas forças são iguais, diferindo apenas em grau. O alquimista ou estudante hermético que saibam a arte de manipular os graus de vibração, consegue transmutar não só esses estados em si mesmo, mas também nos outros.

Pense no ódio não como diferente, desigual ou como algo totalmente oposto ao amor. Pense nele como a mesma força. A pessoa que tem ódio também tem amor. Eles são apenas extremos da mesma coisa.

6. “Os Mestres, porém, elevando mentalmente a si mesmos para planos superiores, dominam o seu humor, seu caráter, suas qualidades e capacidades, assim como ao próprio ambiente a sua volta e se tornam jogadores ao invés de peões.”

Esta lição também complementa as duas anteriores. Mentalmente, o estudante ou Mestre, por meio da elevação a planos superiores, consegue alterar estados e vibrações. Mas, é preciso elevar-se. Lembre-se do que Einstein disse: “Nenhum problema pode ser resolvido pelo mesmo estado de consciência que o criou“.

7. “Para aquele é puro, todas as coisas são puras; para o vil, todas as coisas são igualmente vis.”

É o nosso olhar. Mude seu olhar e tudo a sua volta mudará também. Essa é uma linda lição que o Caibalion traz para nós.

E então, o que achou das lições do livro O Caibalion que trouxemos? Se você gostou, compartilhe com outras pessoas também! E deixe sua opinião nos comentários!

Sobre a autora

Lidiane Franqui

O que eu poderia dizer se não que sou uma estudiosa dos assuntos ocultos? Apaixonada pelo místico, pelo oculto e pelo que há além da materialidade, eu sigo estudando, buscando e tirando os véus que estavam cobrindo meus olhos. Quanto mais estudo, mas percebo que há muito o que aprender. Parafraseando o ilustre Sócrates, quanto mais estudo, mas percebo que nada sei. Espero que com minhas anotações neste blog, eu possa auxiliar quem quer que chegue por aqui.

Deixe um comentário